A secretaria municipal de Educação, Cultura, Lazer e Esportes, através da divisão de Educação e Cultura, desenvolveu em Carmo do Paranaíba o Projeto Educação Patrimonial. O projeto consiste em um conjunto de ações desenvolvidas com objetivo de preservar o patrimônio cultural de nossa comunidade, valorizando sua identidade e memórias.

O projeto vem sendo desenvolvido nas escolas desde o mês de agosto, através de uma série de ações e produtos que deram subsídio aos professores que atuam como disseminadores do projeto. Dentre as ações, destacam-se:

– Capacitações realizadas pelo setor da Divisão de Cultura e Turismo, entre elas, a saber: aos professores da rede Municipal e Estadual de Ensino; os garis; artesãos e artesãs; conselheiros do COMPAC; estas iniciativas visam despertar no cidadão e cidadã um novo olhar sobre a paisagem urbana para que conheçam um pouco da história e do cotidiano de sua cidade e valorizar a memória histórica do Município;

– Jornada do Patrimônio Cultural de Minas Gerais, com o tema “Outros olhares sobre o patrimônio cultural” com uma belíssima exposição de artesãos de nosso município, oficina de máscara, recital de música e apresentação de teatro com objetivo de divulgar a nossa cultura;

– Visitas guiadas em todos os Bens Tombados e alguns inventariados pelo Município;

– Concurso para a criação da Mascote do Patrimônio Cultural de Carmo do Paranaíba, sendo que todas as escolas da rede municipal, voltado para as escolas municipais. A Mascote escolhida levou o nome de TOMBITO com a seguinte justificativa: “porque é no Livro do Tombo que se registra os bens tombados pelo Município”, sendo o vencedor do concurso o aluno Eduardo Henrique de Lima, 4º ano, aluno da professora Síntia Aparecida Barbosa da Escola Municipal Henriqueta Cassimira de Menezes. O TOMBITO será usado nas divulgações das atividades dentro do Patrimônio Cultural;

– Para culminância do Projeto Educação Patrimonial, cada escola municipal realizou suas ações com exposições, cartazes, maquetes, produções de textos etc.

De acordo com a chefe da divisão de Cultura e entusiasta do projeto, Neuma Souza, é a partir da educação patrimonial que a comunidade tem conhecimento sobre sua cultura e a importância da preservação de suas raízes. “Conheça, ame, preserve o nosso bem maior: patrimônio cultural. Sendo de extrema relevância o conhecer, pois é através do conhecimento que valorizamos a cultura, a raça,o jeito de ser e estar de nosso povo”, destaca.