Prefeituras de Carmo do Paranaíba e Lagoa Formosa rescindem contratos de servidores da área de educação

A informação foi confirmada pelo prefeito de Carmo do Paranaíba Cesar Caetano durante entrevista ao vivo no programa Radar da Rádio Clube98 na manhã dessa quinta-feira (16) aos jornalistas Bernardo Franco e Edvar Santos. De acordo com o prefeito, com a paralização das atividades escolares há mais de 20 dias no município devido ao decreto que determinou ações contra a pandemia do coronavírus, o executivo municipal optou pela rescisão contratual de 62 contratados na área da educação em Carmo do Paranaíba entre professores e estagiários. “È questão de economia e legalidade já que o gasto é de R$ 110 mil reais mensais e atendemos também orientações do tribunal de contas. Por isso, achamos por bem fazer a rescisão contratual desses profissionais”, disse Cesar Caetano.

Questionado sobre a dispensa, já que dependem do salário para sobrevivência, o prefeito argumentou que, “Não posso deixar de considerar de pagar R$ 110 mil mensais não sei por quanto tempo a quem não esta trabalhando no momento. É uma situação complicada para o município, mas infelizmente é uma realidade mundial e temos que usar o bom senso”, completou. O prefeito ainda informou que os documentos dos contratados permanecerão da mesma forma na Secretaria Municipal de Educação para que quando for possível o retorno, possa ser feito a volta com as mesmas funções, ordem, salários e atividades.

Em Lagoa Formosa, também sem data prevista para a volta as aulas, a prefeitura tomou a mesma atitude que em Carmo do Paranaíba com a dispensa de profissionais contratados da área da educação para o ano de 2020. Alguns contratados dispensados inclusive usaram as redes sociais para manifestar insatisfação quanto ao fato, e pedindo para que a prefeitura reveja a atitude.

Em resposta, a Secretária Municipal de Educação de Lagoa Formosa, Ilma Marques, disse que não restou alternativa a prefeitura a não ser suspender os contratos dos servidores até o fim do isolamento social, já que os mesmos não estão trabalhando e a receita municipal caiu drasticamente. Segundo a secretária, agora depende do calendário para os educadores serem novamente convocados. Ilma Marques informou que os trabalhadores contratados dispensados irão receber no final de abril os acertos a que tem direito referente a férias e 13º e os salários até o dia 13, quando foi tomada a decisão da rescisão contratual.

Matéria:  Vanderlei Gontijo e Toninho Cury 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui