Governo de Minas executa obras de manutenção e conservação em rodovias do Alto Paranaíba

O Governo de Minas, por meio do Departamento de Estradas de Rodagem (DER-MG), está realizando uma série de obras de manutenção e de conservação da infraestrutura rodoviária em diversas rodovias estaduais pavimentadas e não pavimentadas na região do Alto Paranaíba, por meio do Programa de Manutenção e Conservação Permanente.

O DER-MG está fazendo a manutenção das rodovias LMG-680, entre Paracatu e Brasilândia, e LMG-690, em Paracatu, corrigindo pontos críticos provocados pelo período de chuvas. As rodovias ainda receberam encascalhamento nesses pontos.

Já na MG-188, entre os kms 122 e 157 do trecho Paracatu e Unaí, as intervenções são na segurança viária, com reforço na sinalização e revitalização da pintura das faixas de bordo e central da pista, além da limpeza dos dispositivos de drenagem. O mesmo serviço foi executado na LMG-706, em Vazante, entre os kms 65,1 a 70,3.

Esse tipo de trabalho é executado, continuamente, pelas 40 unidades do DER-MG no estado. O objetivo é melhorar o escoamento da produção, auxiliar no transporte de insumos, proporcionar mais segurança e qualidade de vida para a população que transita pelas rodovias mineiras e, consequentemente, gerar impactos na economia e na geração de empregos.

Novo modelo de contrato de conservação

O DER-MG espera aprimorar os trabalhos de conservação rodoviária com o novo modelo de contrato de conservação permanente, que pretende aumentar a qualidade dos serviços de manutenção rotineira nas rodovias estaduais.

O ponto chave desse novo modelo é garantir que pequenos problemas nas rodovias não evoluam para situações mais complexas, que coloquem em risco os usuários e gerem custos excessivos para os cofres públicos.

Para garantir que o programa traga resultados efetivos à sociedade, os investimentos também serão ampliados.

“Anualmente, o DER-MG vinha investindo, aproximadamente, R$ 7 milhões na manutenção da malha rodoviária de cada regional. A partir deste ano serão, em média, R$ 24 milhões em investimentos”, explica o diretor-geral do órgão, Rodrigo Tavares.

Fonte: Agência Minas