Carmo do Paranaíba e outras cidades da região estão entre os dez maiores produtores de leite do país, diz IBGE

Patos de Minas, Patrocínio, Coromandel, Lagoa Formosa, Prata e Carmo do Paranaíba estão entre os dez maiores produtores de leite do país em 2019, segundo a Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM) divulgada em outubro pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O primeiro lugar do ranking ficou no Paraná, no município de Castro, com 280 milhões de litros, apesar da redução de 4,2%. Em segundo lugar, Patos de Minas teve acréscimo de 1,5% e atingiu 195,8 milhões de litros de leite. Em terceiro lugar, ficou Carambeí (PR), com produção de 180 milhões de litros de leite.

Patrocínio aparece em 4º lugar, seguido de Coromandel (5º), Lagoa Formosa (7º), Prata (9º) e Carmo do Paranaíba (10º).

Maiores produtores de leite do país em 2019

Posição Cidade Quantidade de leite
1º Castro (PR) 280 milhões de litros
2º Patos de Minas (MG) 195,8 milhões de litros
3º Carambeí (PR) 180 milhões de litros
4º Patrocínio (MG) 173,1 milhões de litros
5º Coromandel (MG) 124,4 milhões de litros
6º Pompéu (MG) 123,8 milhões de litros
7º Lagoa Formosa (MG) 118,6 milhões de litros
8º Orizona (GO) 110,5 milhões de litros
9º Prata (MG) 109,8 milhões de litros
10º Carmo do Paranaíba (MG) 103,4 milhões de litros
Fonte: IBGE
Ainda segundo o PPM, Minas Gerais, maior produtor de leite do Brasil, bateu recorde de litros produzidos em 2019: o estado produziu mais de 9,4 bilhões de litros no ano passado – um aumento de 5,7% em relação a 2018. A marca é a maior da série histórica da pesquisa, iniciada em 1974.

A produção mineira, de acordo com o IBGE, representou 27,1% da produção nacional, que é de cerca de 34,8 bilhões.

O estado mineiro é seguido por Paraná e Rio Grande do Sul. Os três estados juntos produzem mais da metade do leite nacional (51,9%).

Em 2019, o Sudeste voltou a ser a maior região produtora de leite do país, com 34,3% de produção, tirando a liderança do Sul, que ocupava o posto desde 2014.

Minas Gerais também se destaca no número de vacas ordenhadas no país, ocupando a primeira posição. Em relação ao ano passado, houve ligeira queda de 0,35%. Apesar disso, segundo o IBGE, houve aumento na produtividade, que atingiu a marca de mais de 3 mil litros por vaca ao ano.

Já o valor da produção de leite no estado subiu 15,7%, por causa do aumento no preço unitário, gerando uma receita bruta superior a R$ 11,5 bilhões, informou o IBGE.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui